2 de abr de 2009

"Bem vindo a terra dos vivos"

"Wathever Happened, Happened" - 05 x 11 - Lost

Nós, fãs de Lost, sabemos que a série não é "normal". Que Lost, não pode ser enquadrada, nos mesmos gêneros que conhecemos e nem comparada a várias séries que acompanhamos ou demos uma leve checada. Lost é cinema. Lost é Arte.

"Whatever Happened, Happened", episódio 11 da quinta temporada, talvez irá figurar entre os mais perfeitos episódios de Lost. Com atuação de gala de Evangeline Lilly e um final IMPRESSIONANTE.



... E quando você pensa que Carlton Curse e Damon Lindelof, não serão capazes de dirigir cenas absolutamente geniais, tais quais da primeira e segunda temporada, eles te dão uma porrada na orelha (e nos olhos, óbvio!) e fazem uma maravilha de episódio.

Tal qual o episódio anterior, temos as cenas direcionadas para o que teria feito Kate nos últimos instantes que precederam a viagem em retorno a ilha. Vários esclarecimentos, entre eles, com quem ficou Aaron, na "civilização". E nada mais justo do que com sua própria avó. Depois de re-encontros (inclusive com Cassidy e a filha de Sawyer, Clementine), Kate passa também a analisar, com muito cuidado, delicadeza e sofrimento, parte da sua história fora da ilha e parte do passado de Sawyer, hoje, LaFleur.

As cenas foram excelentemente dirigidas e Evangeline Lilly está muito bem. A dicotomia criada entre salvar Ben "Child" e Aaron no passado, dão bem o tom de que Lost, não é mesmo uma série parecida com uma outra qualquer.

Contando com a liderança sensata (quem diria?) de Sawyer e com a frieza (e péssima atuação do ator) de Jack, Juliet e Kate, mulheres e sensíveis, percebem que ali, sem os recursos necessário, Ben irá morrer...

E nas dúvidas referentes ao que acontecerá se Ben morrer é que Milles e Hurley "duelam" um diálogo genial. E nele se concentra, muito da teoria que nós ficamos tentando entender, desde que soubemos que Ben estava á morte... Imperdível...

E depois de indas e vindas, desespero por parte do pai, sumiço de Sayid, Richard Alpert parece que é o único que pode salvar a pátria, ou melhor Ben. E em suas mãos é entregue Ben "Child". As cenas que antecedem o encontro entre Hostis e Iniciativa Dharma, são aos do processo de cura do "karma" do relacionamento que teima em se supor, Kate e Sawyer... ali se configura, um provisório "The End".

E quando você pensa que após o provisório fim, não há jeito de tudo se tornar mais excepcional, nosso amigo falecido, re-encontra o recém ressureto...

Fica uma pergunta: os Oceanic Six voltaram para salvar os amigos que ficaram ou para cumprir o destino de salvar Ben que os salvaria?

Até a próxima!


4 comentários:

Adelson (TD Séries) disse...

Olá, Daniel.

Ótimo review! Eu achei também este episódio sensacional.

Um destaque para mim foi a conversa entre Miles e Hurley. Foi uma forma interessante de explicar à platéia o que está acontecendo - bem ao estilo de "De Volta para o Futuro". Hurley é mesmo impagável!

Fiquei ansioso demais pelo próximo episódio, para ver Michael Emerson e Terry O'Quinn contracenando juntos novamente.

Um abraço!

J.J. disse...

Daniel. Você disse tudo no começo do review. Lost é Arte. Cada capítulo se torna perfeito, e os finais são sempre intrigantes.

Mas Evangeline que me desculpe, A atriz que faz Juliet pra mim é bem melhor. Eh uma pena que (aparentemente) ela irá morrer .

Petter disse...

Concordo com o JJ, nem acho Evangeline Lilly essas coisas, não consegui me emocionar com as cenas dela nesse episódio, não acho ela uma boa atriz.

O episódio foi bom, regular...não achei uma coisa surpreendente e tal. Poucas respostas nos foram dadas, mais também não quero parecer aquele fã chato de Lost que acha que a série tem que solucionar os mistérios a todo episódio, não me preocupo com isso. Episódio bom para divertir e dar uma relaxada, nada mais.

Abração.

KA disse...

Eu achei a atuação de Evy muito boa sim! Aliás, acima da média. Foi realmente destaque.
E o episódio todo foi muito bom. Quando focam nos losties e no aspecto psicológico dos personagen sempre sai obra-prima!

LinkWithin