3 de mai de 2009

Contagem regressiva!


The following takes place between 3:00 am and 4:00 pm

Uma das melhores temporadas de 24 horas está chegando ao fim e de maneira dramática. Uma reviravolta, bem ao estilo da série, tomou conta das últimas 7 horas e quem pensávamos estar redimido, está mais atolado na lama do que no início...



Tony Almeida está negociando não se sabe com quem, mas parece bem determinado a colocar o país de pernas para o alto, quando, depois de eliminar Galvez (que se negara a dizer onde havia escondido o cilindro) convence sua comparsa a atacar algum alvo e dar cabo dos planos de um grupo poderoso, interessado em colocar em cheque a estabilidade do país.

Jack se recupera de forma minoritária, mas ainda encontra forças para tentar convencer a presidente Taylor (a quem chamou de Palmer, prova de que sua memória está plenamente afetada) de que um interrogatório a Jonas Hodges seria o ponto inicial para desmantelar o plano terrorista que ainda assola a nação, sem o conhecimento desta.

Para isso, Mother President terá que oferecer uma espécie de "serviço de proteção á testemunha", para que Hodges entregue os nomes que compoem tal grupo. Debilitado e vendo sua vida ameaçada - uma vez que o FBI forja sua morte, após uma má sucedida tentativa de suicídio - ele apenas diz o que ninguém quer ouvir: que ele não sabe quem são as pessoas e que teme pela vida de sua família.

Ao menos as suspeitas são jogadas sobre a falsa advogada que esteve com ele em visita. E esta é a única esperança do FBI.

Para isso, Jack pede a reabertura dos servidores da CTU, única capaz de conter ainda históricos de terroristas que se encontram em território americano e que, podem servir de bodes expiatórios no caso de um ataque biológico/terrorista. Para isso, Jack convoca Chloe, e ela, deixa filho e marido no hotel, para acampar em pleno território do FBI e ser alvo de olhares enciumados e desconfiados.

Enquanto isso, na Casa Branca, a filha de Taylor, se vê indignada com a possibilidade do assassino do seu irmão (Hodges) se ver livre de tantas acusações; quando vemos a cena na qual ela conversa com algum jornalista importante na qual parece ter a intenção de por tudo a perder, ao declarar "ao mundo" que Jonas Hodges está vivo...

Tony ganha o voto de confiança do "super grupo" e avança nos planos de atacar algum alvo americano. Para isso precisa de uma isca e ao final deste episódio vai em busca de alguém perfeito para tentar ludibriar o FBI e acabar com o que resta de credibilidade do governo americano e consequentemente com as forças da Presidente Taylor.

Foi menos intenso, mas não menos importante. 24 horas tem se mostrado nesta temporada, equilibrio, com um roteiro sem falhas e uma grande oportunidade de alterar fatos no presente que mudem o foco das próximas seasons.


2 comentários:

Hélcio Moreira Jr. disse...

J.J. , já coloquei o Loukos por Seriados no blogroll do TV em Série. Fiquei muito feliz com a parceria.

Abraço!

Lucas disse...

Rapaz eu nunca fui muito fã de 24H, so vi uma temporada pela GLOBO, mas acabei perdendo alguns episódios e daii a coisa fica confusa não é?Depois disso nunca mais vii nada da série, mas pelo que ando lendo essa temporada tem se destacado bastanteee!

LinkWithin