19 de abr de 2009

Ainda há tempo



Episódio 18 - 01:00 pm/02:00 pm

Emocionante, vibrante, intensa, vivaz. Essas são as características, para, na minha opinião, a melhor temporada de 24 horas. Elejo, entre as minhas favoritas, desde que vi a primeira temporada de Damages - outra grande série estrelando Glenn Close - não assisti uma série tão movimentada e cheia de revelações.



Apenas, um pormenor: colocar um terrorista (Jon Voight, excelente como o Hodges) na sala oval para negociar com a presidente, foi um pequeno exagero. Em nenhuma nação do planeta - e muito menos na América - se daria tal condição; um homem que matou milhares de pessoas e colocou outras tantas em risco de morte dialogando com a mulher mais poderosa do planeta.

Fora isso, vemos Bauer e sua lenta e angustiante condição de contágio. Ele e sua filha (contactada pela ag. Walker) Kim, protagonizaram um momento excelente não só do episódio, mas da temporada. Foi quase um acerto de contas, que é um flash-back da quarta temporada, quando Kim teve um sério desentendimento com Bauer, culpando seu pai pela morte de sua mãe... Não viu? Cate as primeiras temporadas.

Depois de uma virada de jogo em relação aos planos audaciosos de Hodges, Tony Almeida toma algumas atitudes, que num primeiro momento parece bastante incoerente. E nós apenas saberemos o que pensar a respeito na próxima hora. Depois de salvar o EUA, explodindo o recipiente onde estavam os mísseis SS, ele se alia a um agente da Starckwood e mata o agente Larry Moss, asfixiado.

O tempo está acabando, pra Tony, pra Jack, pra gente.


Nenhum comentário:

LinkWithin